segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Telefone que não toca.


Anseio.

Espero.

Porque desejo.

Porém padeço.

(Sem êxito)



Esmero-me.

Revolto-me.

Decepciono-me.

Magôo-me.

(Sem respostas)



Sofro.

Procuro.

Penso.

Imagino.

(Sem cessar)



Arrependo-me.

Canso-me.

Indigno-me.

Frusto-me.

(Sem efeito)



O tempo passa.

Voa...

A espera mata.

E você não liga.

5 comentários:

Felipe disse...

"tenho duas mãos e o sentimento do mundo..." (Drummond)

A eterna espera nos atordoa, anestesia, paralisa e ao mesmo tempo que nos torna impotentes, inertes, é capaz de refletir o espelho daquilo que esperamos, mas não atingimos.


Muito bom o seu texto

bjos

La Vanu disse...

Retribuindo a visita...

Obrigada...gostei daqui tbm.

Bj

Ígor Andrade disse...

Agradecendo (muito atrasado) sua visita. Espero que volte sempre!

Seu perfil é espetacular! rs

Grande abraço!

Rafael Gomes disse...

Adoro os texos do seu blog!

P.S.:Depois eu te ligo (se vc me passar seu tel :p)

Jutati disse...

Este foi o que mais gostei... é simples e profundo e descreve sentimentos que todos nós já passamos pela vida, "esperar um telefonema que não vem". O que mais gosto dos seus textos é ver o domínio completo que vc tem do vocabulário... isso me falta um pouco. Os meus textos são recheados dos mais ricos sentimentos, mas às vezes me faltam algumas boas palavras. Te amo.